Conhecimento fascinante dos primeiros dias das aparições

Conhecimento fascinante dos primeiros dias das aparições

 Conhecimento fascinante dos primeiros dias das aparições

medjugorjefirstdays1a
Capa do novo livro do padre James Mulligan com as transcrições das entrevistas feitas com os videntes de Medjugorje nos primeiros dias das apariçoes.

Medjugorje: The First Days, escrito e compilado por James Mulligan, um sacerdote católico romano servindo na arquidiocese de Westminster em Londres. Apresenta um roteiro cronológico muito detalhado do fenômeno Medjugorje quando ele se manifestava nos primeiro dias cruciais. A pesquisa meticulosa resultou num registo grafico e absorvente do inicio das alegadas aparições de Nossa Senhora de Medjugorje.

O livro contém, pela primeira vez em qualquer língua, uma transcrição completa não editada de entrevistas registradas em 22 fitas e comentário in loco com os videntes. As entrevistas e comentários foram gravadas durante a primeira semana das aparições e as transcrições fornecem evidencias muito convincentes que fortemente apontam para a autenticidade do fenômeno Medjugorje. O livro é ricamente ilustrado com fotos nunca antes publicadas.

 

A base deste primeiro registro dos primeiro 7 dias das alegadas aparições em Medjugorje é a transcrição da tradução do croata de entrevistas registradas em 22 fitas/comentários in loco dos alegados videntes. Todas as gravações foram completas dentro dos primeiros 7 dias das alegadas aparições e fornecem matrial fonte inestimável. As gravações foram realizadas por padres franciscanos de Medjugorje – principalmente o pároco, Fr Jozo Zovko – e por um paroquiano, Grgo Kozina. A maior parte das gravações foram confiscados pela Polícia de Segurança do Estado iugoslavo, quando eles invadiram a reitoria da paróquia de Medjugorje em 17 de agosto, 1981, mas felizmente copias tinham sido feitas. Estas cópias foram encontradas por todo o mundo e somente agora veio a oportunidade de tê-las todas coletadas. Partes das transcrições destas gravações tem sido publicadas esporadicamente – mas esta é a primeira vez que todo o material tem sido coletado, traduzido e publicado. Em 1988, um padre franciscano nascido em Medjugorje, o falecido Fr. Ivo Sivric, que estava então vivendo no Canada, publicou e traduziu uma parte substancial das gravações em francês, no seu livro La face cache de Medjugorje. Esta foi uma valorosa tentativa, e sua tradução é basicamente boa, mas Fr. Sivric foi prejudicado pela grande quantidade de falta de material e foi também frequentemente aturdido, parece, pela linguagem coloquial e termos modernos dos jovens videntes. Estas transcrições são um tesouro sob muitos angulos. Elas fornecem uma descrição bem gráfica e in loco daqueles eventos rápidos e sem precedentes de junho de 1981, e elas deixam o leito sem nenhuma dúvida da convicção absoluta dos jovens videntes que estão vendo Nossa Senhora. Como seria esperado da maneira ad hoc e não coreografada na qual as gravações foram realizadas, há alguns momentos de confusão – mas tais momentos são raros e há uma admirável consistência e coerência da narração dos videntes sobre o evento. A firme convicção destas jovens pessoas que estão vendo a Bem-Aventurada Virgem Maria brilha contra o pano de fundo de hostilidade das autoridades do estado comunista e o ceticismo, ao mesmo tempo, dos padres franciscanos na paróquia de Medjugorje, e aponta fortemente para autenticidade de Medjugorje.

 

O excerto que se segue é uma entrevista feita por Fr Zrinko Cuvalo (ZC) com Marija Pavlovic (MP) na noite de 27 de junho de 1981, o quarto dia das aparições em Medjugorje. Fr Zrinko era o assistente do pároco Fr Jozo Zovko. Não apenas se revela o intenso escrutínio sob o qual os videntes foram colocados pelos padres da paróquia mas também as dificuldades de sacerdotes experientes em compreender as peculiaridades do fenômeno que ao mesmo tempo foram aceitos de fmaneira verdadeira pelos videntes

 

ZC: Por favor Marija. Você me dirá isto agora. Ontem à noite eu fui procurar você para ver se você tinha voltado à Citluk. A milicia procurava por você e você foi com eles. Eu encontrei você na estrada.

MP: Onde?

ZC: Com o Jakov quando você estava indo para a vila de Cilici e Sege. Você estava com o , não estava?

MP: Aonde foi?

ZC: Ontem à noite, na estrada.

MP: Não sei.

ZC Como é que você não sabe? Bem, diga-me: quando você voltou de Citluk, aonde você foi primeiro? Para casa?

MP: Estávamos correndo pela estrada.

ZC: Espere. Você estava em Citluk.

MP: Sim, sim. Eu sei, eu sei.

ZC: Quando você retornou de Citluk, alguém trouxe vocês de volta, foram eles? Voce disse, “Estávamos com pressa e temos que chegar a tempo,” e vocês chegaram em casa. De casa, você foi com  o Jakov para Cilici e Sege. Encontrei vocês na estrada e perguntei a você: “Vocês estão indo lá para cima?” Você respondeu: “Estamos indo naquela direção.” Nós paramos quando passamos a interseção do falecido Nikola Dragicevic. Nós passamos a interseção e paramos bem ali.

MP: E uma vez mais.

ZC: Sim, sim, na estrada para Cilici e Sege perto da sua casa e lá paramos e esperamos um pouco na estrada.

MP: Esperávamos pelo Ivan.

ZC: Muito bem, Jakov e você estavam lá.

MP: e o companheiro Pavlovic, aquele homem.

ZC: Bem, haviam alguns homens lá, havia muitas pessoas e eu estava lá também. Marija, preste atenção! Eu estava lá para observar você. Eu estava na frente para tirar fotografias da multidão e isto e aquilo. Você estava de pé com o Jakov. Um homem abriu o caminho. Ele também fecou o outro caminho. Você estava de pé lá e você nãp parava de olhar para o caminho lá em cima. Marija, preste atenção por um momento! Num dado momento, enquanto você estava observando e fixando seus olhos lá em cima, subitamente você disse: “Lá está ela!” Foi isto, não foi?

MP: Sim.

ZC: Sim. O que você viu então?

MP: A luz.

ZC: Você viu a luz e disse, “Lá está ela!”

MP: Talvez, eu quero dizer a luz.

ZC: Bem, mas você se lembra do que você disse?

MP: Não sei.

ZC: Você disse, “Lá está ela!” “Lá está!” Agora eu não sei exatamente. Isto ficou na minha cabeça, “Lá está ela!”

MP: “Lá está ela!”

ZC: “Lá!” é muito provavelmente correto. Exatamente como você disse, você começou a correr lá para cima através da multidão.

MP: Eu disse isto três vezes…

ZC: Eu ouvi duas vezes, “Aqui está ela/Aqui está!” ou “Lá está ela/Lá está!” – Eu não sei.

MP: A terceira vez…

ZC: eu sei que você voltou para lá para cima e que você tomou um atalho, não tomou?

MP: Sim.

ZC: Você tomou o caminho ou o atalho?

MP: O caminho.

ZC: E o Jakov correu com você também. Foi assim, não foi?

MP: Eu não… ele não.

ZC: Eu não sei. Ele foi. Eu o vi com você. Dois de vocês fizeram seu caminho através da multidão. Você tem claro e você foi lá em cima. Como é que esta noite você não desceu pelo meio da estrada?

MP: Nós fizemos um acordo lá em cima.

ZC: Vocês não estavam de acordo em subir lá em cima juntos? Vocês arranjaram ontem à noite para que vocês fosse por aquele caminho e você por este?

MP: Sim.

ZC: Então vocês fizeram um acordo.

MP: Ontem à noite ou antes, esta noite antes de ontem…

ZC: Por que vocês acordaram assim? Por que vocês queriam se separar?

MP: Nós pensávamos que talvez ela não nos aparecesse mais.

ZC: Vocês duvidaram que ela pudesse aparecer? Como vocês chegaram a duvidar quando ela tinha dito antes de ontem que ela viria na mesma hora? Por que vocês duvidaram?

MP: Nós não tínhamos exatamente dúvidas.

ZC: Ao menos, vocês não estavam muito certos.

MP: Todo dia esperávamos lá e estávamos esperando naquele momento.

ZC: Bom.

MP: E hoje tentamos um teste.

ZC: Muito bem, vocês tentaram testá-la hoje. Mas diga-me: você me falará a verdade? Você viu algo esta noite?

MP: Sim, eu vi.

ZC: O que você viu primeiro?

MP: Eu vi primeiro…

ZC: O que você viu primeiro, ou o que chamou a sua atenção? A luz e…

MP: A luz e as estrelas.

ZC: Que tipo de luz? Onde? No chão ou lá em cima no céu?

MP: No céu.

ZC: Lá em cima no céu. Depois disto, o que você viu?

MP: Depois eu vi a Gospa, seu corpo, e eu assisti até o momento em que ela estava ficando perto do chão em seu caminho.

ZC: Sim, sim.

MP: Eu fiquei observando se ela estava vindo bem aqui.

ZC: Diga-me: quando você fixou sua visão na luz, por que você não disse alguma coisa?

MP: Eu disse algo.

ZC: O que você disse, esta noite?

MP: Esta noite? Eu falava para a Mirjana. Ela estava lá.

ZC: Não… o que você para quem estava perto de você?

MP: eu estava pensando.

ZC: Quem estava à sua direita?

MP: À direita?

ZC: Sim.

MP: Espere um momento. Mirjana, era a Mirjana?

ZC: Você tinha se voltado entre Surmanci e Capljina. Você estava olhando naquela direção.

MP: Eu sei, eu sei.

ZC: Quem estava à sua direita?

MP: acho que era a Mirjana, e ao lado de Mirjana estava Marinko. Acho que era o Marinko.

ZC: Quem estava à sua esquerda?

MP: Vida, depois Ivica, Ivica, depois Vida, depois Jakov.

ZC: Agora Marija, você se lambra? Você não estava de pé assim? Era Ivica…

MP: sim, sim.

ZC: Espere um minuto! Era assim: Ivica, você, depois Mirjana?

MP: Ivica, eu e Mirjana, depois a Vicka.

ZC: Minha preocupação é saber quem estava imendiatamente à sua direita e à sua esquerda.

MP: Sim, sim, foi assim.

ZC: Como é que você não se lembra? Foi desta maneira?

MP: Sim.

ZC: Isto significa que Ivica estava imediatamente à sua direita, depois você, depois Mirjana à sua esquerda. Assim, havia a Ivica, depois Vicka e o pequeno Jakov. Diga-me: o que eu estou te perguntando?

MP: Eu me esqueci.

ZC: Diga-me: você disse algo esta noite quando você viu?

MP: Sim.

ZC: Mais alto! O que você disse?

MP: Eu disse, “Lá está ela!” Nesta direção, quando Mirjana virou-se e falou.

ZC: Diga, Marija, eu não compreendo…

MP: Marinko olhou.

ZC: Preste atenção! Você me viu?

MP: Eu não te vi.

ZC: Eu estava de pé em frente a você. Eu fiquei todo o tempo no mesmo lugar.

MP: Eu te vi, mas quando a Gospa apareceu, eu não te vi.

ZC: Preste atenção! Eu fique de pé no mesmo  lugar atrás do espinheiro. Você me viu?

MP: Eu te vi antes.

ZC: O que eu estava segurando na minhas mãos?

MP: Você estava segurando uma camera para filmar.

ZC: Eu continuei a observar. Eu não ouvi bem. Talvez, eu não ouvi. Como é que ontem eu ouvi claramente, estrada abaixo, e eu vi como você disse, “Lá está ela!” … Você deu um pulo, mas esta noite eu não notei que você pulou, mas …

MP: Esta noite eu não estava me sentindo bem.

ZC: Eu não vi você pular e não ouvi nada mesmo.

MP: Eu fiz, mas de um certo modo…

ZC: Bom. Diga-me, quando você estava olhando, você me viu?

MP: Não.

ZC: Você não me viu mesmo?

MP: Não mesmo.

ZC: Não mesmo? Bem, quando você me notou? Você me viu quando eu estava segurando a camera.

MP: Sim.

ZC: Você não me quando você estava olhando para ela? Quando você me viu depois disto?

MP: Eu te vi mais tarde, quando você estava com o Grgo, quando a Gospa desapareceu.

ZC: Próximo ao Grgo. Você me viu quando eu estava segurando algo em minhas mãos diferente da camera, atrás do behind Grgo? Enquanto eu estava com o Grgo?

MP: Eu não vi.

ZC: Você não viu. Eu perguntei a você algo esta noite?

MP: Sim.

ZC: Sim, eu perguntei. O que eu estava segurando nas minhas mãos?

MP: Algo do Grgo’s depois, isto…

ZC: A camera. Bem. O que eu te perguntei quando eu cheguei, depois do Grgo, quando tudo acabou?

MP: Você me perguntou se eu tinha murmurado.

ZC: O que eu te perguntei?

MP: Você me perguntou…

ZC: O que eu te perguntei?

MP: Nós tínhamos murmurado com a Vida e Ivica?

ZC: Muito bem. Você realmente ouviu algo da Vicka ou Mirjana, enquanto vocês estavam olhando? Vocês continuaram a fixam o olhar; Mirjana disse algo para você?

MP: Mirjana não disse nada.

ZC: Sim. Ela não disse nada. Você ouviu o que ela estava dizendo para a Ivica?

MP: Eu não ouvi.

ZC: Você não ouviu. Mirjana disse algo para você?

MP: Ela não disse nada para mim.

ZC: Nada mesmo. Você disse algo para a Mirjana?

MP: Eu não disse nada.

ZC: Você disse algo para Ivica ou para o Ivan?

MP: Eu não disse nada. Eu somente falei…

ZC: Isto é o que eu digo. Eu não vi você falar com Mirjana mais do que eu te vi conversando com a Ivica, mas vocês estava olhando para elas. Eu observei você e esperei que a mesma coisa acontecesse como ontem à noite ou a noite de antes de ontem. Eu não vi isto. Você não disse: “Lá está ela!” ou “Lá!” Você não ficou apreensiva, você não falou com ninguém – seja com aqueles que estavam a sua direita ou com aqueles que estavam a sua esquerda. Diga-me: você disse que primeiro você viu uma luz depois você vi a sua forma.

MP: Sim.

ZC: Você viu a forma de uma mulher. Diga-me, era uma mulher bem velha ou bem jovem?

MP: ela era bem jovem.

ZC: Ela tinha algo em sua mão?

MP: Ela não tinha nada.

ZC: Como ela estava mantendo suas mãos?

MP: Suas mãos? Assim.

ZC: Aqui as mãos não estavam estendidas… assim, como se dobradas? Ela fez algo realmente com seus dedos?

MP: Não, ela não fex nada.

ZC: Ela tinha algo realmente sobre as suas mãos?

MP: Eu acho que o rosário ou algo assim?

ZC: Eu quero dizer, ela tinha algo realmente sobre a sua mão?

MP: Não realmente.

ZC: Ela não tinha nada. Ela estava vestindo uma vestimenta especial, um pouco diferente?

MP: Não, era a mesma.

ZC: Diga-me como foi esta noite.

MP: A mesma coisa.

ZC: O que você viu em sua cabeça?

MP: Um véu branco.

ZC: O que ela tinha de comprimento total?

MP: Comprimento total? Era uma longo vestido.

ZC: Um longo vestido de um só peça?

MP: Sim.

ZC: Ela tinha um cinto ou algo assim?

MP: Não.

ZC: Você viu o seus pés?

MP: Não.

ZC: Você não os viu? Por que você não viu seus pés?

MP: Eles estavam cobertos pelo vestido.

ZC: Os pés não eram visíveis. Havia algo entre os pés e a pedra, o solo?

MP: Havia uma lacuna.

ZC: Havia algo nesta lacuna?

MP: Havia…

ZC: Alguma grama?

MP: Não. Havia uma pequena nuvem.

ZC: Havia uma pequena nuvem. Quando você viu? Quem foi a primeira a começar a falar, você ou ela?

MP: Quem? Ela.

ZC: Você a primeira a começar a conversar? ?Ou foi aquela que você viu?

MP: Foi eu.

ZC: O que você disse?

MP: Eu disse, “Lá está ela!” Depois , eu me virei para Mirjana, e Mirjana fez o mesmo.

ZC: Muito bem. Você disse, “Você disse, “Lá está ela!” Você disse algo mais?

MP: Não.

ZC: Ela disse algo mais para vocês?

MP: Não.

ZC: Ela olhava para vocês?

MP: Ela estava olhando para vocês todos.

ZC: Muito bem. Ela estava olhando para nós todos.

MP: Ela virou-se também.

ZC: Ela parecia estar feliz ou triste?

MP: Ela não estava nem feliz nem triste.

ZC: Ela parecia normal?

MP: Sim.

ZC: Você calculou quantas vezes você a viu… uma vez ou várias vezes?

MP: Hoje foram duas vezes.

ZC: Duas vezes. Isto significa que você viu, isto é a pequena nuvem ou a luz antes de você fixar o olhar no corpo, então ela desapareceu?

MP: Sim.

ZC: Como ela desapareceu? Ela subiu ou desceu, ou ela tornou-se nebulosa?

MP: Ela subiu.

ZC: Isto significa que ela se moveu de cima para baixo.

MP: O que você quer dizer de cima para baixo?

ZC: Como é que agora você a vê e depois você não a vê mais? Como é que você não a vê mais e por que você não a vê se ela permanece lá? Ela saiu, ou ela se moveu, ou…

MP: Ela subiu para o céu quando ela despareceu.

ZC: Ela subiu ao céu. Ela desceu depois disto?

MP: Eles fizeram perguntas para ela.

ZC: Espere, eu não estou perguntando a eles, estou perguntando a você, Marija. Você a viu?

MP: Sim.

ZC: O que me interessa agora é: como ela desapareceu?

MP: Ela desapareceu desta maneira. Ela estava de pé aqui e depois ela estava desta maneira.

ZC: Ela foi muito alto?

MP: Sim, ela tornou-se invisível.

ZC: Muito bem. Quando ela reapareceu.

MP: Mais tarde, quando estávamos rezando e cantando, depois…

ZC: Muito bem. Quando ela reapareceu, ela veio de cima, de baixo, da esquerda, da direita? Como? Você a viu em um lugar…

MP: De cima.

ZC: Ela veio de cima, ela desceu. Na sua descida, como ela estava de pé? Com suas mãos estendidas? Ou com suas mãos junto ao seu corpo?

MP: Com suas mãos assim. O mesmo como da primeira noite.

ZC: Ela permaneceu uma vez mais. Cerca de quanto tempo ela ficou? Você pode dizer?

MP: Talvez uns cinco minutos.

ZC: Você disse algo para ela?

MP: Nada mesmo.

ZC: Ela disse algo para você?

MP: Não.

ZC: Você a ouvi conversar com alguém mais?

MP: Sim.

ZC: Com quem ela conversou ou o que ela disse?

MP: Vicka fez algumas perguntas a ela em alta voz

ZC: Ela respondeu às suas perguntas?

MP: Sim.

ZC: Cada pergunta?

MP: Cada uma.

ZC: Cada uma. Você ouviu o que ela disse para ela?

MP: Quando estávamos murmurando, chagemaos a um acordo sobre que perguntas fazer a ela.

ZC: Vocês estavam murmurando por causa das perguntas. Então você ouviu a resposta.

MP: Sim.

ZC: Um de vocês fez perguntas. Por que vocês não fizeram as perguntas sem murmurar, para perguntá-la o que quer que viesse em sua cabeça?

MP: Grgo, ele não…? Grgo disse para perguntá-la…

ZC: Deixe Grgo para lá! Por que você pede coisas que outras pessoas pediram a vocês pata colocar como perguntas? Fala para ela à sua maneira! Isto significa que vocês não… que vocês inventaram as perguntas juntos. Preste atenção cuidadosamente a isto. Quando a Vicka perguntava a ela, você ouvia a Vicka?

MP: Sim, eu a ouvia.

ZC: Você ouvi a resposta?

MP: Sim, eu a ouvi.

ZC: A resposta segui-se imediatamente?

MP: Não.

ZC: Mas?

MP: Ela esperou apenas um pouco.

ZC:Quando você ouviu a resposta que este espírito deu à Vicka, vocês murmuraram entre si o que vocês deveriam nos dizer?

MP: Não. Vicka disse imediatamente, ou a mim, ou a alguém mais, ou Mirjana, ou Ivica, mas eu não…

ZC: Não era Ivica.

MP: Era a Mirjana or eu.

ZC: Somente Ivica, Iva,às vezes Ivica pode ser uma mulher, às vezes um homem.

MP: Ivica.

ZC: É uma mulher. Você ouviu se eles estavam murmurando entre eles que resposta eles deveriam fazer quando a Gospa falou a eles?

MP: Não.

ZC: Você não ouviu, Você ouviu quando ela a perguntou: “Minha Gospa, o que você dirá a estas pessoas?” quando a Gospa respondeu a sua pergunta, Vicka esperou um pouco para replicar, ela estava pensando ou …?

MP: Não, estávamos observando a Gospa.

ZC: Sim, vocês estavam observando. Isto é o que me quebra a cabeça. Você disse que você ouviu o que a Vicka tinha dito e a resposta que a Gospa deu.

MP: Sim.

ZC: Tome bastante cuidado, esta é a minha pergunta: Vicka disse de uma vez o que ela ouviu ou ela esperou e depois falou?

MP: Talvez, ela esperou um pouquinho, apenas um pouquinho, bem pouco.

ZC: Ela (Vicka) olhou para alguém?

MP: Não.

ZC: Ela murmurou para alguém?

MP: Não, ela olhou para o seu relógio.

ZC: Como a coisa toda terminou?

MP: O fim?

ZC: Seu fim?

MP: Aquele? Da Vicka ou da Gospa?

ZC: Aquele que você viu esta noite?

MP: Eles fizeram algumas perguntas, depois ela disse: “Vão na paz de Deus!” A primeira vez que ela apareceu ela disse isto.

ZC: Sim.

MP: Depois nós esperamos por ela.

ZC: Quando vocês estavam olhando para ela vocês rezaram?

MP: Sim, estávamos olhando para ela. Nós não rezamos.

ZC: Vocês cantaram algum hino?

MP: Não, não.

ZC: “Vão em paz!”, depois você ficou onde estava. Vocês rezaram ou cantaram depois que ela disse, “Vão em paz!”?

MP: Sim, rezamos e cantamos.

ZC: Vocês rezaram e cantaram. Depois, eu vim com a camera depois que eu deixei Grgo, não foi? Muito bem, Marija, obrigado. Agora você se juntará ao resto do grupo. Descanse e eu continuarei com os outros.

 Traduzido por José Aguiar – equipe site www.medjugorjebrasil.com

Fonte da matéria: crownofstars.blogspot.com

 

 

Próximas Peregrinações para Medjugorje

 

Roteiro da Peregrinação de Abril 2015

Roteiro da Peregrinação de Junho 2015

Roteiro da Peregrinação de outubro 2015

Roteiro da Peregrinação de novembro 2015